All Posts By

Helena Costa

Aventura Desporto Lifestyle Viagens

A aventura vai começar! Les-a- Les

Estou neste momento a pensar o que vou levar para 5 dias nas minhas duas malas que tenho de lado na mota para o Les a Les!

Tenho que ser pratica, levar o mínimo e ter tudo (em miniatura). Para alem de não querer levar muito peso na mota, não ha espaço! É nestas alturas que temos que pensar como os homens…talvez por isso há mais homens a andar de mota…mas eu estou aqui a desmistificar esse lado e a apoiar as mulheres! Andar de mota é libertador, da-nos confiança, leva-nos a sítios lindos, é pratico e va laaa, não é um bicho de 7 cabeças!! Mulheres façam-se à estrada! Tenho visto muitas mulheres a conduzir motas lindas e digo-vos fico babada!

Para quem não tem ideia do que é o Lés-a-Lés,  atravessamos Portugal de uma forma muito especial, (de uma ponta à outra) procurando estradas e caminhos fora das normais rotas turísticas e até de comunicação que levam as mais de 1900 motas a passar por sítios e a descobrir novos locais que de outra forma não os encontrávamos.

Por isso comigo vou levar:

Vou ainda de manha buscar o casaco e as botas porque fiquei indecisa e pedi-vos ajuda no meu instagram 🙂 Agora já sei, obrigada!

Mota: clicar aqui

Equipamento: clicar aqui

Capacete e x-com: clicar aqui

Les a Les: clicar aqui

Sigam a minha aventura nos meus instastorys no instagram! Ate já!

No Comments
Lifestyle

Os meus animais!

Sempre adorei animais e sempre quis ter animais a habitar comigo, para isso era preciso que o seu espaço fosse livre e que nunca sentisse peso na consciência por não poder passear com eles se estivesse fora, ou simplesmente não tivesse tempo ou disposição!

Precipitei-me!

Quando pensamos muito numa coisa, mais dia menos dia ela acaba por acontecer e apesar de ter espaço agora para os animais, ainda não seria agora que os devia ter…mas foi mais forte! E de repente dei por mim com 7 animais em casa!

Somos 7!

Uma cadela (Tacuara), duas cabras (Emilia e Amalia), dois gatos (Lurdes e Jorge) e dois pássaros do amor (Louro e Vitor). Não vai ficar por aqui porque para alem deste espaço não ser o ideal, neste momento são 4 bebes que precisam de muito amor e atenção! Ter mais significava não ter tempo para acompanhar devidamente o crescimento de cada um!

Uma porca

Mas será para breve… e pelo menos mais um cão e uma porquinha, sim uma porquinha leram bem, vou ter! Alias a porquinha é a minha vontade maior desde sempre! Mas tal como as cabras, a porca será de uma raça pequena, ao que chamam mini ou anãs. Claro que só saberei se é verdade depois de crescerem, mas eu credito, já vi 🙂

Deixo-vos aqui com algumas fotos dos meus queridos animais de estimação e fiquem atentos ao instagram e facebook que aí sim é a toda a hora que posto, aproveito para pedir desculpa se vos chateio com isso, mas não consigo não partilhar!!

Irmã que supervisiona

Duas notas, eu tenho a sorte de ter uma irmã que é veterinária e me ampara estas loucuras, ela tem a especialidade em cirurgia ortopédica (e é muuuuito boa) por isso para além das vacinas e controlo geral, se partirem uma pata, estou safa! A outra nota é que algumas fotos com as cabrinhas foram tiradas pela associação de animais de rua, uma associação que ajuda os animais abandonados onde podes adotar os teus tal como adotei os gatinhos 🙂

No Comments
Lifestyle

O meu Gin de eleição!

E se houver falta de imaginação para os presentes este natal, o Gin é  sempre uma boa opção! 

É a minha opção número um no que toca a beber um copo com amigos ou família, um gin tónico. 

Lembro-me a primeira vez que me introduziram o gin, foi uma surpresa intrigante, o sabor seco e nada doce!Desde aí que vejo esta bebida como perfeita para beber antes de um jantar por exemplo ou simplesmente para conviver! Receitas há muitas e eu gosto de experimentar sempre uma diferente ou fazer eu mesma com o que me inspirar no momento!

Aqui fica a minha sugestão de Gin, um gin com uma imagem arrojada e elegante ao mesmo tempo.

Um Gin português, o Friday Chic Gin !

2 Comments
Moda

Lanidor and Me! As peças essenciais deste Inverno!

Inverno está à porta e nada melhor que este pretexto para ir às compras!
Por isso já fiz o meu estudo, ja pesquisei e já sei que peças vão ser fundamentais para mim neste Outono/Inverno!

Assim mal posso esperar pelo primeiro dia mais cinzento para contrariar as saudades que o sol e o bom tempo vão deixar!

Na primeira foto em cima já tenho algumas das peças que adoooro !!!

Must- have para a próxima estação:

Adoro as botas, as calças à boca de sino a gabardine e o chapéu! Tudo Lanidor

 

O casaco (adoro casacos), as calças mais uma vez e as botas (que são as da foto de cima)! As botas vou usar todos os dias! Combinam com tudo e o salto tem a altura ideal! Lanidor

Este conjunto é a minha cara!! Gosto de tudo, é pratico e elegante! Também Lanidor.

 

No Comments
Aventura Viagens

Lés-a- Lés com a KTM Adventure 1090

É uma felicidade acordar e saber que vou pegar na mota! É uma alegria sempre que me sento em cima da mota!
Fazer viagens longas e programas diferentes com a mota é o meu objetivo, ganhar experiência e pratica…para que o meu sonho de fazer a Islândia de mota fique cada vez mais consistente!

A passagem da KTM Duke125 para a KTM Adventure1090

Bem, eu tinha que dar o salto, a Islândia não podia desvanecer e eu tinha que começar por algum lado. Perguntei a varias pessoas “das motas” que provas ou experiências podia fazer para perceber mais da dinâmica das viagens longas.

Há varias opções e todas elas faziam os meus olhos brilhar! Desde a fins de semana “por aí”, a passeios a cabos ou pontos específicos, Picos da Europa, Algarve, Marrocos, N2 e Lés-a-Lés!
O Lés-a-Lés nunca mais me saiu da cabeça e assim que me certifiquei que o ía fazer, tive de tratar do salto da KTM Duke125 para uma mota mais à altura dos 400 km traduzidos em 8 horas diárias durante 3 dias, para fazer Portugal de lés a lés!
O processo de evolução de mota ía ser gradual e bastante consistente, mas acontece que nesse período tive a agenda de tal forma preenchida mais a meteorologia a não ajudar, que quando fui a ver tinha 12 dias para me habituar a uma KTM Adventure1090!

Até hoje as pessoas não acreditam que passei assim de uma para a outra e fiz o Lés-a-Lés logo de seguida! Nem eu acredito…na altura a adrenalina era tanta, o medo quase se apoderou de mim…os meus olhos estavam sempre abertos e tinha a cabeça a mil! Mas desistir não era opção, e tive bastantes pessoas a dizer: “ Helena, não é melhor só fazeres para o ano?” Mas eu ficava pior só de imaginar isso, desistir não era opção!

A experiencia Lés-a-Lés

Lés-a-Lés pareceu-me bem desde o inicio, e estava disposta a fazer-lo sozinha mesmo não conhecendo ninguém, sabia que o ambiente era muito bom e que não era de cariz competitivo mas sim de cariz lúdico e cultural, conhecer o nosso país de uma ponta à outra por estradas alternativas.
Mas costuma-se dizer que quando queremos muito uma coisa ela acaba por acontecer e tive muita sorte em falar com um amigo que me disse que também ía fazer! Fiquei radiante porque para alem de ja ter companhia, predispôs-se a ajudar com logísticas e em formar equipa comigo.


O ponto de partida foi em Vila Pouca de Aguiar (perto de Chaves), mas se é ponto de partida, a mota já tem que estar lá e por isso fui dois dias antes e fiz 500 km com calma.
O primeiro dia foi uma prova de 4 horas para conhecer as redondezas, logo aí percebi que os próximos 3 dias podiam ser puxados! O termómetro marcava 40 graus e as vestimentas para se andar de mota não são frescas! Eu então faço sempre questão de usar luvas, casaco, calças e botas, mas mesmo que não fizesse questão as pessoas chamariam a atenção se estivesse a faltar alguma destas peças, e com razão! Alem disso eu sinto que tenho que dar o exemplo, é muito importante ter o corpo todo tapado/protegido para caso aconteça alguma coisa. Não gosto muito de falar sobre isso, mas também não se pode ignorar, tento sempre conduzir da forma mais segura e tenho muito respeito pela mota e pela estrada!

No primeiro dia rumo ao Fundão não sabia bem o que me esperava, arrancar as 9 da manha não foi cedo o suficiente para chegarmos antes das 21h, foi duro confesso mas valeu tanto a pena! Andavam todos espantados com a minha mota, diziam que as mulheres não tinham mãozinhas para ela, eu achava graça, na verdade também eu estava orgulhosa e espantada, a mota portou-se lindamente e senti-me bastante segura. O que mais me assustava era o peso da mota, cerca de 215 quilos, sempre que parava a mota tinha que pensar se depois conseguia sair dali, uma vez ao ligar a mota, quase com a mota parada percebi que ela ia cair, já não conseguia evitar…e caiu, mas sozinha, eu fiquei de pé nem tentei segura-la porque realmente é um bicho!

No segundo e terceiro dia a temperatura que marcava no visor rondava os 45 graus, sempre que parávamos despejava garrafas de agua para arrefecer, a viseira do capacete tinha que ir fechada porque o ar queimava na cara, havia momentos que só estava bem se estivesse a conduzir tal era o calor mas ganhei resistência, estaleca e experiência. Sentia-me concretizada e feliz! Vi paisagens que nunca imaginei que fossem “nossas”, conheci pessoas fenomenais.
Seguramente vou voltar a fazer o Lés-a-Lés para o ano, aconselho toda a gente a fazer esta aventura, sejam condutores experientes, inexperientes, repetentes, aventureiros, penduras, toda a gente, é uma experiência única!!

Vim de la cheia de vontade de viajar e percorrer estradas e mais estradas, obrigada à minha equipa foram os melhores! Ptá!!

 

4 Comments
Lifestyle Viagens

Um fim‑de‑semana bem perto!

Foi um fim‑de‑semana caido do céu, fui convidada para passar dois dias na Quinta dos Machados, uma country house que fica a 40 minutos de Lisboa!
Veio mesmo a calhar  antes de me aventurar no Lés-a-Lés… É óptimo para quem quer passar uns dias fora, sem ter de ir para longe, é uma quinta centenária com muitas histórias para contar, conhecida principalmente por ter muitos eventos (só o ano passado teve mais de 50 casamentos), decidiram agora apostar num edifício novo hoteleiro por sinal com muito bom gosto. Fiquei no quarto “tradições portuguesas” e cada quarto tem um tema diferente.
O ambiente é sereno, com a madeira e a pedra da arquitetura de quatro séculos a pontuar a decoração!
A quinta no lado antigo (de antigo só mesmo a idade porque parece novo) tem dois apartamentos para alojamento local, situam-se numa espécie de solar que antes era a casa principal da quinta.
No lado novo, onde fiquei, tem os quartos temáticos e um restaurante em que tive o prazer de jantar duas vezes e confesso que para do serviço excepcional (senti-me mesmo bem recebida) foi das melhores experiências gastronómicas dos últimos tempos!
 A quinta em si é muito agradável, parece que estamos longe de Lisboa mas no fundo estamos ao lado, tem uma piscina muito calma e com óptima exposição solar.
 Adorei passear no pinhal de 15 hectares com pinheiros, sobreiros, ciprestes e camas de baloiço, óptimo para fazer piqueniques (não temos que nos preocupar com a cesta porque o restaurante prepara a cesta).

 Fica a 20 min das praias da Ericeira… Mas como se estava tão bem na piscina resolvi ficar pela quinta a descansar mesmo!

Assim vale mesmo a pena! Vejam mais aqui: Quinta dos Machados

No Comments
Viagens

Clima, praias, vestir, e visitar em Miami

 

O meu itinerário para 11 dias foi estipulado pela minha amiga Rita que vive lá! Não podia ter tido mais sorte porque para alem de ter sido a companhia perfeita, adora fotografia, tem um enorme sentido estético e muito conhecimento da cidade!

Clima

O clima é quente durante todo o ano, no entanto húmido e tropical, no meu caso tive muita sorte porque apanhei sol quase todos os dias e uma media de 35 graus e quando é assim, tudo fica mais fácil! Na verdade a previsão metereologica era sempre má, o que não aconteceu, então aproveitamos os primeiros dias para correr as praias todas.

Praias

As praias que ficam separadas por pontes chamam-se Keys e há bastantes, é a caminho dessas praias inclusive South Beach (que é uma cidade independente de Miami) que conseguimos ver a skyline, sempre diferente e deslumbrante todos os dias a diferentes horas do dia.
Corremos as praias todas de south Beach e confesso que as casinhas dos nadadores salvadores são de facto muito giras e apelativas às fotos, só não tirei mais fotos porque depois era só casinhas no meu instagram! Outra key mais calma e com uma beleza inquestionável é key biscayne!

Vestir

Portanto o que vestir durante o dia é biquini com vestido por cima, nunca se sabe quando se pode dar um mergulho! O tempo é fabuloso e as praias ótimas, mas atenção há tubarões, eu vi, eu filmei, eu estive dentro de agua com um, tinha um tamanho considerável mas para ser sincera, fiquei surpreendida com a atitude dos americanos, muitos deles tinham uma postura passiva perante tamanha besta, credo fiquei eriçada como os gatos! À noite só é preciso um casaco para aqueles restaurantes em que o ar condicionado funciona bem demais.

Visitar

Apesar de Miami ser uma cidade recente, ha bastantes coisas a visitar para além das praias, pontos obrigatórios e diferentes do habitual:

Lincoln Road, Collins Avenue e Washington Avenue – no centro de South Beach para compras de todo o tipo.

Wynwood distrit – É um distrito que transborda arte, desde todas as paredes pintadas, desenhadas ou grafitadas por artistas, a galerias, cafés, bares e restaurantes onde privilegiam a arte. Adorei e foi o sitio onde tirei mais fotos!

Ocean Drive – Onde a loucura escondida de Miami se junta toda! Sim escondida porque só nesta avenida é que vi este desfilar de vaidades…pelos vistos mais ao fim-de semana. É uma avenida paralela à Washington Avenue em South Beach e está cheia de excentricidade, nos carros, nas roupas e nas atitudes! Adorei apesar de ter sentido um misto de medo com divertimento! Mas é seguro, pelo menos estava cheio de policias 😉

Miami Art Museum – conhecido como MAM foi inaugurado em 1984 e tem essencialmente arte contemporânea, as exposições vão variando e a arquitetura e beleza do edifício enchem o olho.

Financial district (Brickell) e a Skyline (recorte dos edifícios na lina do horizonte) – na hora do por do sol principalmente, presenteiam-nos todos os dias com diferentes cores e luzes que resultam numa magia que só esta cidade tem!

No Comments
Viagens

Miami destino obrigatório ou não?

Miami um destino obrigatório ou não?

Foram 11 dias de felicidade constante, quem viu os meus stories no instagram ou snapchat, pode sentir um bocadinho desse meu entusiasmo!

Já contava os dias para voltar aos Estados Unidos e assim que cheguei, foi o êxtase total. Não sei que tipo de relação tenho com os EU que me deixa completamente rendida!! Sei que há pessoas que não se identificam com este tipo de cidades, como por exemplo Nova Iorque, Las Vegas, Dubai, Singapura… cidades meias artificiais ou construídas de forma ordeira e esteticamente pensadas ao milímetro. No meu caso adoro e identifico-me muito, deve ser porque me sinto segura ou sei que tudo só pode funcionar bem! Não conhecia Miami e imaginava uma coisa diferente… de facto é diferente! Sinto que Miami é uma mistura de NY com LA mais uns pozinhos mágicos!

Logo quando cheguei, fiquei fascinada com as luzes noturnas e a skyline, a partir daí só consegui dormir 5 horas por noite tal era a minha vontade de aproveitar a viagem…a prova disso foram os milhares de fotografias que tirei e que pedi para tirar! Quis que tomos os momentos ficassem registados!

A Fructis acompanhou-me na viagem a Miami em que tive a oportunidade de experimentar o champoo e o amaciador de abacate e fiquei fã! O tempo lá é mesmo húmido e fartei-me de mergulhar no mar, mas consegui vir de lá com o cabelo ainda mais hidratado!! Como fiquei em casa de uma amiga, ela também experimentou e adorou!

Ficam aqui algumas fotografias que retratam um bocado Miami e a minha experiência! Espero inspirar-vos ou ajudar-vos a decidir se Miami é um destino obrigatório ou não 🙂 Para mim já é um destino a repetir!!
Se decidirem que é, vejam então o próximo post com dicas e a dinâmica de Miami!

No Comments
Lifestyle

A minha vida sem medos!

As vezes quando se esta um grande período de tempo sem trabalhar em representação, muito tempo “parada” como se costuma dizer…inventamos coisas para fazer, bastantes até…há uma infindável lista de coisas que já inventei e uma outra que ainda falta inventar!
Desta vez pensei… tenho tempo, oportunidade, vontade, então porque não? Pensei… está tudo bem, relaxa, vive e aproveita que estás de “férias” e a vida são dois dias…
Foi aí que decidi meter mãos à obra, juntar o útil ao agradável e programar uma data de experiências, vive-las, fotografa-las e partilhar com vocês, preencher os meus próximos dias com aventuras e usar esse conteúdo para o misshelen.pt!
A primeira experiência foi a visita aos Açores (ver post), serviu para uma espécie de estagio, serviu para ver como se podia aproveitar o tempo e transformar isso em conteúdo, depois a experiência de balão que foi simplesmente incrivel (ver post), a seguir, a viagem a Miami (para breve o post), depois para ganhar energia, um fim‑de‑semana bem perto de Lisboa na Quinta dos Machados e depois a prova do Les-A Les na minha mota para fazer Portugal inteiro em estradas secundarias …

Entretanto quando menos se espera, no meio desta confusão toda, quando já se esta exausta de cansaço, surge o projeto de televisão A Herdeira na Tvi.
Neste momento conto os minutos mas é nestas alturas que faz mais sentido a expressão: “quanto mais fazes, mais fazes”… Vale a pena batalhar e fazermos por nós, não só nos preenche como pessoa, como atrai outras e mais coisas boas!
Sou atriz há 13 anos depois de 8 anos em moda, há mais de 20 anos que lido com os altos e baixos entre o excesso de trabalho e a falta dele. Mas por causa disso obriguei-me a não ficar parada, a não baixar os braços e por causa disso sou a pessoa que sou hoje.
A ajuda e apoio dos meus pais e irmã foi crucial! As minhas escolhas e decisões precisaram de ser algumas erradas para perceber a dança da vida. Dura, injusta, incompreensível ou até mesmo incrédula …mas depois um equilíbrio e uma clareza soberba, uma dadiva. Aprender a aceitar e a adorar o que temos foi a chave para saltar…
Esta vida deu-me bagagem e hoje sei agradecer todos os segundos pelo facto de estar viva! Talvez por isso seja aventureira, não tenha medo de arriscar e queira viver todos os segundos intensamente porque nunca sei quando vai ser o ultimo!
Não tenham medo! Ouvi uma frase no avião a caminho de Miami que me fez pensar muito…: “If you live an ordinary life, you will only have ordinary stories to tell” 😉
Eu quero ter historias extraordinárias para contar…

No Comments
Viagens

Fim‑de‑semana no Alentejo!

Adoro aventura, novidades e experiências que nos obriguem a sair da zona de conforto, juntei a esta minha vontade outro ingrediente essencial para que a experiência pudesse ser completa: a companhia! Desafiei as minhas amigas Mariana Monteiro e Catarina Gouveia, marcamos uma data em que pudéssemos todas (não foi fácil) e lá fomos nós!
Queria que corresse tudo bem ou que fosse memorável pelo menos, desde o meio de transporte, à estadia, às refeições, às experiências… realmente aconteceu porque hoje em dia, há empresas como a Emotion, que podem proporcionar isso! Sendo assim aqui vai a estrutura do fim‑de‑semana:
Transporte:
Hyunday Tucson– é um carro que é a minha cara e ideal para este tipo de fim‑de‑semana! Design arrojado, confortável, dinâmico e seguro.
Alojamento:
Hotel São Lourenço do Barrocal (acreditem ou não, foi dos melhores hotéis que já estive, combinação perfeita de luxo e campo!)
Experiencias:
Balão de ar quente, (ver post aqui),
SUP (Stand Up Paddle) e só não fizemos wakeboard porque a meteorologia não deixou.
Restaurantes:
São Lourenço do Barrocal
Mercearia Gadanha

Dia 1

Eu não me conseguia conter de tanta felicidade mal fui buscar o carro, só queria estar com elas o mais rápido possível para poder partilhar todo aquele excitamento! Fiz questão de as apanhar em casa, estávamos felicíssimas e só acalmamos quando tivemos que nos deitar já no Alentejo!

A viagem até Reguengos de Monsaraz é um consolo para os olhos! Todos nós sabemos que o Alentejo é lindo, mas não sei se é por estar mais velha e dar outro valor às coisas, se nunca reparei e agora reparo, mas encheu-me a alma cada quilometro da viagem! Vale mesmo a pena o trajeto no seio de vinhas, carvalhos, planícies e oliveiras centenárias!

Chegamos ao hotel, e não queria acreditar, o hotel era ainda mais bonito do que nas fotografias… é dos hotéis mais perfeitos que vi até hoje, ou pelo menos tem tudo a ver comigo. Chama-se São Lourenço do Barrocal é um retiro rural num antigo monte alentejano rejuvenescido enquanto hotel de luxo despretensioso. “O primeiro aspecto que salta à vista é o sossego, a serenidade pontuada apenas pelo ocasional chilrear das aves ou pelo mugir da vaca Alentejana. É precisamente por este ambiente de paz e tranquilidade, por esta comunhão ininterrupta com a Natureza, que as pessoas procuram e regressam ao Barrocal.”

Dia 2

No dia a seguir acordamos as 7h e foi um dia preenchido até à uma da manha. Foi tão completo e emocionante que no fim do dia, parecia que o passeio de balão tinha sido há dois dias atras! (ver experiência do balão neste post)

Depois do balão, fomos fazer SUP na barragem do Alqueva, todas nós já tínhamos feito, mas nunca num rio, nunca numa paisagem tão perfeita, nunca naquela paz em que conseguimos exercitar e meditar ao mesmo tempo!

A seguir fomos lanchar ao castelo de Monsaraz, bem, que castelo! Porque é que nunca ninguém me tinha falado daquele castelo? Ou se falou porque nunca me ficou na memória? Assim que entrei nas muralhas, tive a mesma sensação quando visitei a ilha de Santorini com uma mistura de Óbidos! Cada canto um cenário digno de grandes fotos, para não falar da vista de 360 graus sobre toda a planície Alentejana. A partir de Monsaraz é possível contemplar São Lourenço do Barrocal, a escala da paisagem, e da herdade, torna-se clara e visível. Ocupa uma área de 780 hectares, pontuada por azinheiras e sobreiros, oliveiras, vinhas, e o cintilante lago de Alqueva.

Jantamos no restaurante do hotel, um conceito farm to table com produtos sazonais e biológicos provenientes das quintas locais. Estávamos nas nossas sete quintas!!

Dia 3

No dia a seguir o tempo já não era tão favorável a passeios de maneira que foi tomar o pequeno almoço e fazermo-nos à estrada em direcção a Estremoz. A Emotion aconselhou-nos o restaurante Mercearia Gadanha, paragem obrigatória, de facto tinha razão.
Comemos tão bem que a partir de agora, sempre que pensarmos em Estremoz vamos lembrar-nos deste restaurante. Quem viu os nossos stories no instagram desse almoço percebeu o quanto estávamos completamente rendidas ás especialidades deles! As sobremesas então, de cair para o lado!

Voltamos com o coração cheio e com a certeza de que queremos repetir! Espero pro ano podermos chamar a este fim‑de‑semana: 2º encontro de balão Up Alentejo!!
Foi de facto um fim de semana de amigas excepcional e vim de lá encantada, com as experiências, que o Alentejo pode proporcionar!

Vejam o story do meu instagram do dia 2:

No Comments