Category

Aventura

Aventura Viagens

Lés-a- Lés com a KTM Adventure 1090

É uma felicidade acordar e saber que vou pegar na mota! É uma alegria sempre que me sento em cima da mota!
Fazer viagens longas e programas diferentes com a mota é o meu objetivo, ganhar experiência e pratica…para que o meu sonho de fazer a Islândia de mota fique cada vez mais consistente!

A passagem da KTM Duke125 para a KTM Adventure1090

Bem, eu tinha que dar o salto, a Islândia não podia desvanecer e eu tinha que começar por algum lado. Perguntei a varias pessoas “das motas” que provas ou experiências podia fazer para perceber mais da dinâmica das viagens longas.

Há varias opções e todas elas faziam os meus olhos brilhar! Desde a fins de semana “por aí”, a passeios a cabos ou pontos específicos, Picos da Europa, Algarve, Marrocos, N2 e Lés-a-Lés!
O Lés-a-Lés nunca mais me saiu da cabeça e assim que me certifiquei que o ía fazer, tive de tratar do salto da KTM Duke125 para uma mota mais à altura dos 400 km traduzidos em 8 horas diárias durante 3 dias, para fazer Portugal de lés a lés!
O processo de evolução de mota ía ser gradual e bastante consistente, mas acontece que nesse período tive a agenda de tal forma preenchida mais a meteorologia a não ajudar, que quando fui a ver tinha 12 dias para me habituar a uma KTM Adventure1090!

Até hoje as pessoas não acreditam que passei assim de uma para a outra e fiz o Lés-a-Lés logo de seguida! Nem eu acredito…na altura a adrenalina era tanta, o medo quase se apoderou de mim…os meus olhos estavam sempre abertos e tinha a cabeça a mil! Mas desistir não era opção, e tive bastantes pessoas a dizer: “ Helena, não é melhor só fazeres para o ano?” Mas eu ficava pior só de imaginar isso, desistir não era opção!

A experiencia Lés-a-Lés

Lés-a-Lés pareceu-me bem desde o inicio, e estava disposta a fazer-lo sozinha mesmo não conhecendo ninguém, sabia que o ambiente era muito bom e que não era de cariz competitivo mas sim de cariz lúdico e cultural, conhecer o nosso país de uma ponta à outra por estradas alternativas.
Mas costuma-se dizer que quando queremos muito uma coisa ela acaba por acontecer e tive muita sorte em falar com um amigo que me disse que também ía fazer! Fiquei radiante porque para alem de ja ter companhia, predispôs-se a ajudar com logísticas e em formar equipa comigo.


O ponto de partida foi em Vila Pouca de Aguiar (perto de Chaves), mas se é ponto de partida, a mota já tem que estar lá e por isso fui dois dias antes e fiz 500 km com calma.
O primeiro dia foi uma prova de 4 horas para conhecer as redondezas, logo aí percebi que os próximos 3 dias podiam ser puxados! O termómetro marcava 40 graus e as vestimentas para se andar de mota não são frescas! Eu então faço sempre questão de usar luvas, casaco, calças e botas, mas mesmo que não fizesse questão as pessoas chamariam a atenção se estivesse a faltar alguma destas peças, e com razão! Alem disso eu sinto que tenho que dar o exemplo, é muito importante ter o corpo todo tapado/protegido para caso aconteça alguma coisa. Não gosto muito de falar sobre isso, mas também não se pode ignorar, tento sempre conduzir da forma mais segura e tenho muito respeito pela mota e pela estrada!

No primeiro dia rumo ao Fundão não sabia bem o que me esperava, arrancar as 9 da manha não foi cedo o suficiente para chegarmos antes das 21h, foi duro confesso mas valeu tanto a pena! Andavam todos espantados com a minha mota, diziam que as mulheres não tinham mãozinhas para ela, eu achava graça, na verdade também eu estava orgulhosa e espantada, a mota portou-se lindamente e senti-me bastante segura. O que mais me assustava era o peso da mota, cerca de 215 quilos, sempre que parava a mota tinha que pensar se depois conseguia sair dali, uma vez ao ligar a mota, quase com a mota parada percebi que ela ia cair, já não conseguia evitar…e caiu, mas sozinha, eu fiquei de pé nem tentei segura-la porque realmente é um bicho!

No segundo e terceiro dia a temperatura que marcava no visor rondava os 45 graus, sempre que parávamos despejava garrafas de agua para arrefecer, a viseira do capacete tinha que ir fechada porque o ar queimava na cara, havia momentos que só estava bem se estivesse a conduzir tal era o calor mas ganhei resistência, estaleca e experiência. Sentia-me concretizada e feliz! Vi paisagens que nunca imaginei que fossem “nossas”, conheci pessoas fenomenais.
Seguramente vou voltar a fazer o Lés-a-Lés para o ano, aconselho toda a gente a fazer esta aventura, sejam condutores experientes, inexperientes, repetentes, aventureiros, penduras, toda a gente, é uma experiência única!!

Vim de la cheia de vontade de viajar e percorrer estradas e mais estradas, obrigada à minha equipa foram os melhores! Ptá!!

 

2 Comments
Aventura

Altos voos no Alentejo!

Não ía voar…

Até hoje pensava que se algum dia me metesse num balão de ar quente, só seria possível numa outra vida… Mas quis desafiar-me, pelo menos ía tentar…quer dizer, no fundo sabia que ía só para ver, só para tirar umas fotos e que o mais certo era não subir para o balão, ía ser muito difícil de me convencerem… Dessa forma estive sempre tranquila e nem sofri por antecipação.

Nem pensei…

Ate que chega a hora, o minuto e o segundo, foi tudo num piscar de olhos! O acto de encherem o balão, de nos chamarem para entrar foi tão rápido que não tive tempo nem de tirar fotos, nem de pensar, nem de evitar de subir para dentro do cesto! Quando dei por mim já não tinha hipóteses de sequer ponderar!

Posto isto decidi fazer um video em directo para a minha pagina de facebook, não fosse o diabo tecê-las, ou até mesmo para ficar com o registo da minha linda figura depois de ter sido eu a própria pessoa a provocar toda esta situação. (em baixo tem o  video em direto)

Estaria a sonhar…?

O tempo parecia não ser o mais bonito, mas rapidamente se transformou numa experiência única porque vimos desde nevoeiro cerrado em que senti o silencio mais calmo de toda a minha vida, a um sol lindo a raiar no meio da nuvens e abertas!

Senti-me uma verdadeira Willy Fog…O balão é lindo a mística toda está lá! Ainda bem que não pensei antes de subir para o cesto porque se pensasse nunca iria saber como seria andar de balão de ar quente!

Para a vida…

Sei que sou destemida, adoro montanhas russas, desportos radicais e desafios de todo o género, mas há duas coisas que sempre soube que tinha medo, uma é saltar de para-quedas e outra andar nas rodas gigantes… é estranho eu sei, e por isso achava que andar de balão seria tenebroso! Mas não, desafiei o medo e foi de facto das melhores experiências que tive! Tudo é magico, tudo é lindo, é uma intensidade de emoções!
Assim que parei de fazer o video em direto, decidi usufruir de cada segundo daquela viagem, mas rapidamente quis registar todos os segundos que os meus olhos estavam a ver! É impossível largar a maquina fotográfica, queremos que cada segundo fique registado para sempre! (só nesse dia postei 9 fotos no instagram, nunca tinha postado mais que 3 num dia!)

Curiosidades:

• Nesta viagem fizemos 55 minutos de voo, 9 kilometros de distancia e atingimos uma velocidade máxima de 26km por hora.
• Não se consegue guiar um balão de ar quente, o vento e a meteorologia ditam a trajetória. Sem rumo nem destino marcado a viagem é feita ao sabor do vento. Cada voo é único e irrepetível.
• O balão de ar quente é o mais velho veículo aéreo da história da humanidade (1783)
• Só se voa em condições meteorológicas adequadas e a temperatura lá em cima nunca é muito fria porque o próprio balão está quente.
• Normalmente parte-se de manha cedo logo ao nascer do sol quando está mais fresco e ainda não ha vento.

Para saber preços, datas e mais informações  clicar aqui: Up Alentejo

Para ver o video em direto clicar nesta foto:

 

No Comments
Aventura Viagens

Islândia o país que mais me fascina!

Nunca fui à Islândia. Mas quero! Muito ! Não sei se pelo frio, ( sim sou uma dessas “aves raras” que gosta de frio) ou pela ideia de sossego que me vem à mente quando penso neste país.7-day-northern-lights-self-drive-tour-destination-ice-cave-0 Entre quem diga que é magnifico, mas um destino caro, ou quem ache que é um sitio pouco movimentado decidi tirar teimas e investigar.
Se os meses de junho, julho e agosto são os que têm temperaturas mais amenas e dias longos podendo a luz do dia chegar até à meia-noite (com o amanhecer às 3 da manhã), é nos meses mais frios e com poucas horas de luz que se tem uma maior probabilidade de ver em perfeitas condições a famosa aurora boreal. Também os glaciares acessíveis por via terrestre só são visíveis nos meses de frio, obviamente.

waterfalls-in-iceland-1Independentes do clima ou da estação estão as cascatas de tirar o fôlego, as lagoas, os animais marinhos e os fenómenos vulcânicos que são tão característicos a este país, que embora pertencendo à Europa nos parece tão longínquo.
Vistas bem as coisas, a ideia de visitar a Islândia não só me atrai, como percebi ainda que posso aliar a viagem a outros hobbies de que gosto, mais precisamente o trekking, percursos de mota ou mesmo todo-o-terreno!

top-10-beautiful-waterfalls-of-iceland-10 Para relembrar o que é trekking, se atendermos à definição da Infopédia esta modalidade “consiste em fazer longas caminhadas em terrenos acidentados ou montanhosos, pernoitando ao relento em locais que integram o itinerário”.
Há muitos que afirmam estar na Islândia o percurso de trekking mais bonito do mundo: “Landmannalaugar Pearl of the Highlands”. Considerado de nivel fácil, exige três dias de caminhada em excursão com guias locais. Resistência ao frio e os devidos apetrechos são essenciais para a aventura.

top-10-beautiful-waterfalls-of-iceland-6

Assim sendo, se concretizar este objetivo em 2017 não vou sem o material adequado. Poucas coisas: botas de montanha, roupa térmica, equipamento para a chuva, luvas à prova agua, gorro, mochila com coisas de uso diário, saco cama, toalha, óculos de sol, protector solar, bastão de hiking… ☺
Quanto mais penso mais me entusiasmo! Já agora, fica aqui a proposta. Se vocês já foram e têm boas sugestões comentem. Não esquecerei de ter em conta os vossos comentários e de vos pôr a par dos próximos preparativos.
Questões práticas:
Não há voos diretos de Portugal para a capital Reiquiavique (ou Reykjavík). A escala mais comum é em Londres (outras cidades como Barcelona, Paris, Berlim ou Varsóvia também têm voos diretos)
As companhias low cost Easyjet e Wizzair voam para a Islândia desde Londres: boa oportunidade para preços mais vantajosos.
O custo da viagem, dependendo da época, pode variar entre 250 ou 750 euros
As localidades são pequenas pelo que o alojamento disponível é pouco e por isso mais caro
A moeda local: coroa islandesa
O custo de vida é dos mais caros da Europa
Beijinhos e boas viagens!!

No Comments
Aventura Desporto Lifestyle

Passear a alma!

Ao ver as fotografias no final do dia, tive que fazer um conteúdo para o misshelen…

Como às vezes sair da zona de conforto nos faz tão bem!!
Ficou registado na memória! “São estas coisas que ficam!” Sim esta frase faz muito sentido e enche-me a alma!

Foram 4 horas de passeio, sem pressão de tirar fotografias nem fazer video (sim as vezes a pressão não nos deixa vivenciar da mesma forma, mas não foi o caso), simplesmente foi acontecendo. No final resultou um video de 1 min editado em menos de 1 hora e bastante inspirador, espero!

Entre a praia da Fonte da Telha e a lagoa de Albufeira, a caminhar pela praia são cerca de 7 km para lá e outros para cá. Requer resistência física sim mas vale muito a pena! É um trajeto de praias sem acesso, logo não há ninguém…talvez alguns pescadores que adornam o passeio.
Entre a energia calma do mar, a beleza da montanha arrojada, a paz natural da lagoa e o dia de sol tão esperado depois de muita chuva, aqui ficam imagens e o video que resultou!

Uma sugestão de um programa que não custa nada… só tomar a iniciativa!

 

 

1 Comment
Aventura

Aventura na California!

Este video retrata um bocadinho do que foi a nossa aventura nos Estados Unidos.

Eramos nós, eu Mariana Monteiro, João Cajuda e Sara Prata.

Fomos estudar sim, mas aproveitamos também para conhecer a zona Oeste do país.

Quisemos filmar tudo e filmamos…muita aventura e peripécias… Aqui esta só um pequeno resumo eheh editado pelo mestre Joao Cajuda!

Los Angeles, São Diego, Las Vegas, São Francisco, Grand Kenia, Hollywood… “desbravado por nós”!

No Comments
Aventura

A minha aventura em Marrocos!

Há algum tempo atras quando eu por acaso estava loira para a novela Anjo Meu, o meu amigo Joao Cajuda precisou de um modelito para entrar nos seus videos promocionais para o Riad dar el Souk e para o Auberge du sud, um hotel no deserto.

Foi uma experiencia maravilhosa, eu estava um bocadinho mais “pesada” mas igualmente feliz eheh e o João ainda estava no começo dos seus videos, no entanto fico orgulhosa por ter feito parte do seu trajeto que agora toda a gente pode comprovar, é um sucesso!

Deixo-vos aqui um  video que  é um pequeno relato logo após ter caído de moto4 na maior duna do deserto Sahara em Marrocos! Ah! Ao subir a duna à pendura a pique, decidi saltar da mota! Esta gravado na gopro, agora sei se não se faz isso!Não dá para perceber a dimensão da duna, nem a dimensão da queda, mas garanto-vos que fiquei num estado muito engraçado! 

 De seguida ficam os dois videos que o joão fez!

Espero que  se inspirarem, foi uma grande aventura!! 

No Comments
Aventura

Coisas que eu não sabia sobre motas!

Depois da viagem que fiz de mota à pendura até á Russia, depois de voltar com vontade de ter uma mota, depois de ter uma mota e finalmente, depois de poder falar por experiência própria, cheguei a várias conclusões que me fazem vibrar com o mundo das motas, que até agora estava adormecido!

Coisas que eu não sabia antes de andar tanto de mota:

Que é muito fácil ganhar torcicolos
Que se deve usar fato de mota mesmo com 40graus
Que se andarmos com os braços á mostra o vento consegue magoar
Que custa menos fazer kms de mota que de carro
Que se estaciona onde se quer
Que se vê e conhece muito melhor os sítios por onde se passa
Que as luvas, as botas e a proteção lombar fazem a diferença
Que se faz força nos braços a conduzir e a atenção tem que ser redobrada
Que a pendura pode fazer manicure em andamento
Que a probabilidade de adormecer é igual a qualquer outro meio de transporte
Que todos os motards se cumprimentam (todos)
Que há dias de 800 km que não custam nada e dias de 300 que mói mais
Que as pessoas que percebem que ando de mota tanto adoram como discriminam
Que a qualidade dos capacetes é muito importante
Que não dá para fugir à chuva
Que ter uma mala na mota dá mesmo jeito e que cabe lá tudo
Que se fazem 10 mil km  em 22 dias com uma perna as costas!

3 Comments