Category

Viagens

Lifestyle Viagens

Um fim‑de‑semana bem perto!

Foi um fim‑de‑semana caido do céu, fui convidada para passar dois dias na Quinta dos Machados, uma country house que fica a 40 minutos de Lisboa!
Veio mesmo a calhar  antes de me aventurar no Lés-a-Lés… É óptimo para quem quer passar uns dias fora, sem ter de ir para longe, é uma quinta centenária com muitas histórias para contar, conhecida principalmente por ter muitos eventos (só o ano passado teve mais de 50 casamentos), decidiram agora apostar num edifício novo hoteleiro por sinal com muito bom gosto. Fiquei no quarto “tradições portuguesas” e cada quarto tem um tema diferente.
O ambiente é sereno, com a madeira e a pedra da arquitetura de quatro séculos a pontuar a decoração!
A quinta no lado antigo (de antigo só mesmo a idade porque parece novo) tem dois apartamentos para alojamento local, situam-se numa espécie de solar que antes era a casa principal da quinta.
No lado novo, onde fiquei, tem os quartos temáticos e um restaurante em que tive o prazer de jantar duas vezes e confesso que para do serviço excepcional (senti-me mesmo bem recebida) foi das melhores experiências gastronómicas dos últimos tempos!
 A quinta em si é muito agradável, parece que estamos longe de Lisboa mas no fundo estamos ao lado, tem uma piscina muito calma e com óptima exposição solar.
 Adorei passear no pinhal de 15 hectares com pinheiros, sobreiros, ciprestes e camas de baloiço, óptimo para fazer piqueniques (não temos que nos preocupar com a cesta porque o restaurante prepara a cesta).

 Fica a 20 min das praias da Ericeira… Mas como se estava tão bem na piscina resolvi ficar pela quinta a descansar mesmo!

Assim vale mesmo a pena! Vejam mais aqui: Quinta dos Machados

No Comments
Viagens

Clima, praias, vestir, e visitar em Miami

 

O meu itinerário para 11 dias foi estipulado pela minha amiga Rita que vive lá! Não podia ter tido mais sorte porque para alem de ter sido a companhia perfeita, adora fotografia, tem um enorme sentido estético e muito conhecimento da cidade!

Clima

O clima é quente durante todo o ano, no entanto húmido e tropical, no meu caso tive muita sorte porque apanhei sol quase todos os dias e uma media de 35 graus e quando é assim, tudo fica mais fácil! Na verdade a previsão metereologica era sempre má, o que não aconteceu, então aproveitamos os primeiros dias para correr as praias todas.

Praias

As praias que ficam separadas por pontes chamam-se Keys e há bastantes, é a caminho dessas praias inclusive South Beach (que é uma cidade independente de Miami) que conseguimos ver a skyline, sempre diferente e deslumbrante todos os dias a diferentes horas do dia.
Corremos as praias todas de south Beach e confesso que as casinhas dos nadadores salvadores são de facto muito giras e apelativas às fotos, só não tirei mais fotos porque depois era só casinhas no meu instagram! Outra key mais calma e com uma beleza inquestionável é key biscayne!

Vestir

Portanto o que vestir durante o dia é biquini com vestido por cima, nunca se sabe quando se pode dar um mergulho! O tempo é fabuloso e as praias ótimas, mas atenção há tubarões, eu vi, eu filmei, eu estive dentro de agua com um, tinha um tamanho considerável mas para ser sincera, fiquei surpreendida com a atitude dos americanos, muitos deles tinham uma postura passiva perante tamanha besta, credo fiquei eriçada como os gatos! À noite só é preciso um casaco para aqueles restaurantes em que o ar condicionado funciona bem demais.

Visitar

Apesar de Miami ser uma cidade recente, ha bastantes coisas a visitar para além das praias, pontos obrigatórios e diferentes do habitual:

Lincoln Road, Collins Avenue e Washington Avenue – no centro de South Beach para compras de todo o tipo.

Wynwood distrit – É um distrito que transborda arte, desde todas as paredes pintadas, desenhadas ou grafitadas por artistas, a galerias, cafés, bares e restaurantes onde privilegiam a arte. Adorei e foi o sitio onde tirei mais fotos!

Ocean Drive – Onde a loucura escondida de Miami se junta toda! Sim escondida porque só nesta avenida é que vi este desfilar de vaidades…pelos vistos mais ao fim-de semana. É uma avenida paralela à Washington Avenue em South Beach e está cheia de excentricidade, nos carros, nas roupas e nas atitudes! Adorei apesar de ter sentido um misto de medo com divertimento! Mas é seguro, pelo menos estava cheio de policias 😉

Miami Art Museum – conhecido como MAM foi inaugurado em 1984 e tem essencialmente arte contemporânea, as exposições vão variando e a arquitetura e beleza do edifício enchem o olho.

Financial district (Brickell) e a Skyline (recorte dos edifícios na lina do horizonte) – na hora do por do sol principalmente, presenteiam-nos todos os dias com diferentes cores e luzes que resultam numa magia que só esta cidade tem!

No Comments
Viagens

Miami destino obrigatório ou não?

Miami um destino obrigatório ou não?

Foram 11 dias de felicidade constante, quem viu os meus stories no instagram ou snapchat, pode sentir um bocadinho desse meu entusiasmo!

Já contava os dias para voltar aos Estados Unidos e assim que cheguei, foi o êxtase total. Não sei que tipo de relação tenho com os EU que me deixa completamente rendida!! Sei que há pessoas que não se identificam com este tipo de cidades, como por exemplo Nova Iorque, Las Vegas, Dubai, Singapura… cidades meias artificiais ou construídas de forma ordeira e esteticamente pensadas ao milímetro. No meu caso adoro e identifico-me muito, deve ser porque me sinto segura ou sei que tudo só pode funcionar bem! Não conhecia Miami e imaginava uma coisa diferente… de facto é diferente! Sinto que Miami é uma mistura de NY com LA mais uns pozinhos mágicos!

Logo quando cheguei, fiquei fascinada com as luzes noturnas e a skyline, a partir daí só consegui dormir 5 horas por noite tal era a minha vontade de aproveitar a viagem…a prova disso foram os milhares de fotografias que tirei e que pedi para tirar! Quis que tomos os momentos ficassem registados!

A Fructis acompanhou-me na viagem a Miami em que tive a oportunidade de experimentar o champoo e o amaciador de abacate e fiquei fã! O tempo lá é mesmo húmido e fartei-me de mergulhar no mar, mas consegui vir de lá com o cabelo ainda mais hidratado!! Como fiquei em casa de uma amiga, ela também experimentou e adorou!

Ficam aqui algumas fotografias que retratam um bocado Miami e a minha experiência! Espero inspirar-vos ou ajudar-vos a decidir se Miami é um destino obrigatório ou não 🙂 Para mim já é um destino a repetir!!
Se decidirem que é, vejam então o próximo post com dicas e a dinâmica de Miami!

No Comments
Viagens

Fim‑de‑semana no Alentejo!

Adoro aventura, novidades e experiências que nos obriguem a sair da zona de conforto, juntei a esta minha vontade outro ingrediente essencial para que a experiência pudesse ser completa: a companhia! Desafiei as minhas amigas Mariana Monteiro e Catarina Gouveia, marcamos uma data em que pudéssemos todas (não foi fácil) e lá fomos nós!
Queria que corresse tudo bem ou que fosse memorável pelo menos, desde o meio de transporte, à estadia, às refeições, às experiências… realmente aconteceu porque hoje em dia, há empresas como a Emotion, que podem proporcionar isso! Sendo assim aqui vai a estrutura do fim‑de‑semana:
Transporte:
Hyunday Tucson– é um carro que é a minha cara e ideal para este tipo de fim‑de‑semana! Design arrojado, confortável, dinâmico e seguro.
Alojamento:
Hotel São Lourenço do Barrocal (acreditem ou não, foi dos melhores hotéis que já estive, combinação perfeita de luxo e campo!)
Experiencias:
Balão de ar quente, (ver post aqui),
SUP (Stand Up Paddle) e só não fizemos wakeboard porque a meteorologia não deixou.
Restaurantes:
São Lourenço do Barrocal
Mercearia Gadanha

Dia 1

Eu não me conseguia conter de tanta felicidade mal fui buscar o carro, só queria estar com elas o mais rápido possível para poder partilhar todo aquele excitamento! Fiz questão de as apanhar em casa, estávamos felicíssimas e só acalmamos quando tivemos que nos deitar já no Alentejo!

A viagem até Reguengos de Monsaraz é um consolo para os olhos! Todos nós sabemos que o Alentejo é lindo, mas não sei se é por estar mais velha e dar outro valor às coisas, se nunca reparei e agora reparo, mas encheu-me a alma cada quilometro da viagem! Vale mesmo a pena o trajeto no seio de vinhas, carvalhos, planícies e oliveiras centenárias!

Chegamos ao hotel, e não queria acreditar, o hotel era ainda mais bonito do que nas fotografias… é dos hotéis mais perfeitos que vi até hoje, ou pelo menos tem tudo a ver comigo. Chama-se São Lourenço do Barrocal é um retiro rural num antigo monte alentejano rejuvenescido enquanto hotel de luxo despretensioso. “O primeiro aspecto que salta à vista é o sossego, a serenidade pontuada apenas pelo ocasional chilrear das aves ou pelo mugir da vaca Alentejana. É precisamente por este ambiente de paz e tranquilidade, por esta comunhão ininterrupta com a Natureza, que as pessoas procuram e regressam ao Barrocal.”

Dia 2

No dia a seguir acordamos as 7h e foi um dia preenchido até à uma da manha. Foi tão completo e emocionante que no fim do dia, parecia que o passeio de balão tinha sido há dois dias atras! (ver experiência do balão neste post)

Depois do balão, fomos fazer SUP na barragem do Alqueva, todas nós já tínhamos feito, mas nunca num rio, nunca numa paisagem tão perfeita, nunca naquela paz em que conseguimos exercitar e meditar ao mesmo tempo!

A seguir fomos lanchar ao castelo de Monsaraz, bem, que castelo! Porque é que nunca ninguém me tinha falado daquele castelo? Ou se falou porque nunca me ficou na memória? Assim que entrei nas muralhas, tive a mesma sensação quando visitei a ilha de Santorini com uma mistura de Óbidos! Cada canto um cenário digno de grandes fotos, para não falar da vista de 360 graus sobre toda a planície Alentejana. A partir de Monsaraz é possível contemplar São Lourenço do Barrocal, a escala da paisagem, e da herdade, torna-se clara e visível. Ocupa uma área de 780 hectares, pontuada por azinheiras e sobreiros, oliveiras, vinhas, e o cintilante lago de Alqueva.

Jantamos no restaurante do hotel, um conceito farm to table com produtos sazonais e biológicos provenientes das quintas locais. Estávamos nas nossas sete quintas!!

Dia 3

No dia a seguir o tempo já não era tão favorável a passeios de maneira que foi tomar o pequeno almoço e fazermo-nos à estrada em direcção a Estremoz. A Emotion aconselhou-nos o restaurante Mercearia Gadanha, paragem obrigatória, de facto tinha razão.
Comemos tão bem que a partir de agora, sempre que pensarmos em Estremoz vamos lembrar-nos deste restaurante. Quem viu os nossos stories no instagram desse almoço percebeu o quanto estávamos completamente rendidas ás especialidades deles! As sobremesas então, de cair para o lado!

Voltamos com o coração cheio e com a certeza de que queremos repetir! Espero pro ano podermos chamar a este fim‑de‑semana: 2º encontro de balão Up Alentejo!!
Foi de facto um fim de semana de amigas excepcional e vim de lá encantada, com as experiências, que o Alentejo pode proporcionar!

Vejam o story do meu instagram do dia 2:

No Comments
Viagens

Onde ir as compras em Londres?

De facto Londres é uma cidade fantástica e prima pela sua elegância! Já não falo do passeio turístico que esse basta fazer uma breve pesquisa no google, falo do passeio das compras (credo!)

Não quero parecer fútil, mas se Londres é uma cidade com cada vez mais um fácil acesso, ha-de chegar um dia que finalmente só vamos a Londres para fazer compras eheh entre outras coisas claro, como fazer um roteiro gastronómico de comida saudável por exemplo que é cada vez mais presente ou visitar amigos ou o que for.

Mas este post é dedicado as pessoas que já foram a Londres e já visitaram tudo o que era para visitar e finalmente o propósito é outro, compras!

Nada como ir as compras e saber onde ir, se não o foco dispersa e podemos ficar bastante desorientadas e acabar por não comprar nada de jeito.
É importante ter os tópicos dos sítios certos.

Fica então aqui a lista do roteiro das compras:

Zona grande para todos os gostos
Metro – Piccadilly circus
Ruas: Oxford street; Carnaby street; New bond street; Regent street :

Zona gira com lojas mais tradicionais
Metro – Sloane Square
Rua: King’s road :

A maior loja luxuosa da capital inglesa. Harrods
Metro – Knightsbridge
Rua: Brompton road :

Para um estilo mais alternativo, pode-se comprar coisas muito engraçadas ou vintage
Metro – Camden Town
Rua: saída direta do metro :

No final da tarde há vida em Soho com lojas diferentes, bares, casinos, teatros, cinemas e musicais!
Metro – Leicestr Square ou Piccadilly circus
Ruas: várias ruas :

No Comments
Viagens

Ilha Terceira, o que visitar?

Foi a terceira vez que fui a esta ilha maravilhosa e das 3 vezes vi coisas diferentes!

Não sei se é por a velha máxima deles ser realmente verdade (que faz as 4 estações num dia) se é por ir em circunstancias diferentes.
A ilha não é muito grande nem muito pequena, ve-se bem a correr mas ve-se muito melhor com tempo!

Os pontos obrigatórios são:

Algar do Carvão (interior de um vulcão)
Monte Brasil (paisagem lindissima)
Furnas de Enxofre
Lagoa das Patas
Gruta do Natal
Praia da Vitoria
Serra do Cume (vista sobre a “manta de retalhos”
Biscoitos (piscinas naturais)
Ilheu das Cabras (ilha “partida ao meio”)
Angra do Heroísmo
Serra Santa Barbara (para quando o ceu esta limpo)
A ilha terceira é conhecida por estar sempre em festa e ja que se vai visitar então aproveita-se e da-se um pezinho de dança ou assiste-se a concertos ou tradições com touros.

Li uma fase enquanto fiz uma corrida matinal em que dizia: “Os Açores são 8 ilhas e um parque de diversões” deduzo que a Ilha Terceira seja o parque de diversões!

São muito conhecidas as festas Sanjoaninas e as festas da Praia para além de outras mais que podem ver aqui!
Ainda não tive o privilegio de assistir a nenhuma destas duas, mas se assim ja gosto da ilha Terceira como seria se fosse também neste período? Talvez me mudasse para lá! eheh

No Comments
Aventura Viagens

Islândia o país que mais me fascina!

Nunca fui à Islândia. Mas quero! Muito ! Não sei se pelo frio, ( sim sou uma dessas “aves raras” que gosta de frio) ou pela ideia de sossego que me vem à mente quando penso neste país.7-day-northern-lights-self-drive-tour-destination-ice-cave-0 Entre quem diga que é magnifico, mas um destino caro, ou quem ache que é um sitio pouco movimentado decidi tirar teimas e investigar.
Se os meses de junho, julho e agosto são os que têm temperaturas mais amenas e dias longos podendo a luz do dia chegar até à meia-noite (com o amanhecer às 3 da manhã), é nos meses mais frios e com poucas horas de luz que se tem uma maior probabilidade de ver em perfeitas condições a famosa aurora boreal. Também os glaciares acessíveis por via terrestre só são visíveis nos meses de frio, obviamente.

waterfalls-in-iceland-1Independentes do clima ou da estação estão as cascatas de tirar o fôlego, as lagoas, os animais marinhos e os fenómenos vulcânicos que são tão característicos a este país, que embora pertencendo à Europa nos parece tão longínquo.
Vistas bem as coisas, a ideia de visitar a Islândia não só me atrai, como percebi ainda que posso aliar a viagem a outros hobbies de que gosto, mais precisamente o trekking, percursos de mota ou mesmo todo-o-terreno!

top-10-beautiful-waterfalls-of-iceland-10 Para relembrar o que é trekking, se atendermos à definição da Infopédia esta modalidade “consiste em fazer longas caminhadas em terrenos acidentados ou montanhosos, pernoitando ao relento em locais que integram o itinerário”.
Há muitos que afirmam estar na Islândia o percurso de trekking mais bonito do mundo: “Landmannalaugar Pearl of the Highlands”. Considerado de nivel fácil, exige três dias de caminhada em excursão com guias locais. Resistência ao frio e os devidos apetrechos são essenciais para a aventura.

top-10-beautiful-waterfalls-of-iceland-6

Assim sendo, se concretizar este objetivo em 2017 não vou sem o material adequado. Poucas coisas: botas de montanha, roupa térmica, equipamento para a chuva, luvas à prova agua, gorro, mochila com coisas de uso diário, saco cama, toalha, óculos de sol, protector solar, bastão de hiking… ☺
Quanto mais penso mais me entusiasmo! Já agora, fica aqui a proposta. Se vocês já foram e têm boas sugestões comentem. Não esquecerei de ter em conta os vossos comentários e de vos pôr a par dos próximos preparativos.
Questões práticas:
Não há voos diretos de Portugal para a capital Reiquiavique (ou Reykjavík). A escala mais comum é em Londres (outras cidades como Barcelona, Paris, Berlim ou Varsóvia também têm voos diretos)
As companhias low cost Easyjet e Wizzair voam para a Islândia desde Londres: boa oportunidade para preços mais vantajosos.
O custo da viagem, dependendo da época, pode variar entre 250 ou 750 euros
As localidades são pequenas pelo que o alojamento disponível é pouco e por isso mais caro
A moeda local: coroa islandesa
O custo de vida é dos mais caros da Europa
Beijinhos e boas viagens!!

No Comments
Viagens

Vamos viajar de forma económica?

E se viajássemos mas conseguíssemos poupar em toda a logística da viagem de forma a trazermos um guarda roupa novo por exemplo! Esquece a ideia de que viajar é caro.

Há imensas formas de programar uma viagem mais barata do que aquela que ja estavas a contar gastar.

A minha ultima viagem fez-me ficar mais atenta a este factor e por isso deixo-vos aqui algumas dicas:

  • Fazer comparação de sites de planificação de voos e comparar preços. Pessoalmente gosto muito do Skyscanner. De seguida o melhor é reservar o bilhete diretamente na companhia aérea que apresentar os preços mais vantajosos. Regra geral os sites de compra de bilhetes cobram uma taxa que encarece o preço.
  • Subscrever as newsletters das companhias aéreas que voam para os teus destinos de sonho. Volta e meia aparecem promoções muito vantajosas.
  • Janeiro é a melhor altura para pesquisar voo, regra geral estão mais baratos.
  • Tentar viajar em épocas baixas. Evitar como dias de partida ou chegada os fins-de-semana: os preços dos voos são mais baratos em dias de semana como terça e quinta-feira.
  • Reservar casa através do Airbnb em vez de hotel. Geralmente mais económica, esta é uma forma de receber ótimos conselhos dos anfitriões e de ter uma perspetiva mais local e menos turística do sitio para onde se viaja. Permite-te preparar refeições e poupar nos restaurantes.
  • Fazer piqueniques, é uma forma de comprarmos comida no supermercado (as vezes mais saudável) e conhecer os parques, ou jardins, ou rios, ou praias do destino.
  • Consulta o sites como o Time Out da cidade para onde vais, tem sempre bons planos ou até mesmo sites  que propõem frequentemente acordos interessantes e promoções vantajosas.

Boa Viagem!!

1 Comment